Arquivo da tag: laguna tebinquinche

Quatro passeios para desvendar o deserto do Atacama.

Quatro passeios para desvendar o deserto do Atacama.

Assim que desembarquei na garagem da Tur Bus, empresa de ônibus chilena que me levou de La Serena a San Pedro de Atacama, caminhei até meu hostel prestando atenção nas ofertas das agências de turismo da Rua Caracoles, a principal via da cidade.

Logo percebi que os 5 dias programados, contando com o deslocamento de chegada e saída, eram o período ideal para desfrutar dos melhores cenários que o Atacama oferecia. Queria conhecer tudo, mas sem correria. Pelo contrário, contemplação era um dos objetivos da viagem. Assim sendo, pesquisei bastante e eis aqui os tours testados e aprovados:

Lagunas Cejas, Tebinquinche e Ojos del Salar.

Se você chegar até a hora do almoço em San Pedro, não desperdice o dia e vá às Lagunas Cejas, Tebinquinche e aos Ojos del Salar! O passeio é um ótimo cartão de visitas do Atacama.

Lagunas Cejas

Meu tour saiu por volta das 15h00 e, em menos de 30km, chegamos nas Lagunas Cejas. Lembre-se de ir com roupa de banho por baixo, pois a grande atração do local é flutuar nas suas águas. Isso porque a concentração de sal é semelhante a do mar morto. Já aviso que a água é geladíssima, mas a sensação é única!

Na sequência, partimos rumo aos Ojos del Salar. Duas piscinas naturais no meio do deserto que parecem um grande espelho. Olha só:

Ojos del Salar

Para fechar bem o dia, seguimos até a Lagoa Tebinquinche para conferir o pôr do sol. O cenário, emoldurado por vulcões, vai ficando cada vez mais alaranjado, parecendo uma pintura. E, assim, vi o sol se despedir do meu primeiro dia no Atacama. Perfeito.

Laguna Tebinquinche

>>> Preço do tour na Maxim Experience (recomendada pela Cosmo Andino): 12.000 pesos chilenos

Salar do Atacama e Lagunas Altiplânicas

Por ser um dos passeios mais completos e durar um dia inteiro, fechei com a Cosmo Andino, sobre a qual escrevo mais abaixo no tópico das agências.

Laguna Chaxas

Saímos às 08h00 da manhã em direção à Laguna Chaxas e a Reserva Nacional de Flamingos. Na sequência, partimos em direção às lagunas altiplânicas, passando pelo povoado atacameño de Socaire e parando para almoçar nesse lugar surreal, que parecia uma aquarela.

Quando o Atacama vira uma aquarela

A próxima parada era a lagoa altiplânica de Miñiques. No caminho, vimos várias vicuñas e outros animais selvagens.  Quando descemos da van, nos deparamos com esta lagoa e seu azul marinho intenso, contrastando com o amarelo da vegetação rasteira. O silêncio era absoluto e, para mim, foi um dos cenários mais marcantes do Atacama.

Laguna Miñiques

Dali, seguimos em uma breve trilha até a Lagoa Miscanti, igualmente bela. Na volta, visitamos o povoado de Toconao, onde paramos para apreciar algumas técnicas de irrigação e cultivo de alimentos nessa região desértica.

Torre da igreja de San Matias e llamas pelas ruas de Toconao

Esse passeio integra fauna e flora do Atacama com turismo vivencial nas pequenas comunidades da região. Uma ótima combinação!

>>> Preço na Cosmo Andino: 35.000 pesos chilenos/ Na Desert Adventures sai por 25.000.

Valle de la Luna

Esse tour começa a tarde, fazendo deste um bom dia para explorar a cidade pela manhã, como explicarei melhor no próximo post do La Chica de Mochila.

Valle de La Muerte e detalhe das formações rochosas de sal

A van sai de San Pedro às 15h00 em direção a Cordillera de la Sal, onde andamos entre algumas formações rochosas compostas de sal, o que confere um brilho peculiar à paisagem. No caminho, avistamos o Valle de La Muerte e descemos uma duna gigante de areia (bem divertido, por sinal), onde vimos alguns grupos fazendo sandboard, atividade que pode ser contratada à parte em agências como a Vulcano Expediciones.

Lua cheia no Valle de la Luna

A conclusão do passeio foi um verdadeiro presente. Subimos uma duna até o topo com vista para o Valle de La Luna, que se assemelha ao solo lunar. Ali, esperamos a lua cheia nascer, bem redonda e amarela, atrás do Valle e bem na nossa frente. Atacama com lua cheia. Precisa dizer mais?

>>> Preço na Cosmo Andino: 9.000 pesos chilenos/ Na Desert Adventures sai por 6.000.

Geyser del Tatio

Este é um dos passeios que fiquei em dúvida inicialmente. Pra começar, você acorda às 03h00 da manhã e segue de microônibus durante 90 km por uma estradinha cheia de curvas. Como você pode imaginar, a temperatura à noite no deserto – e ainda por cima a 4 mil metros de altitude – não é das mais atrativas. Algo em torno dos 10 graus abaixo de zero!

Por outro lado, todos os turistas com que conversei me diziam que era um programa imperdível, que era o 3o. maior campo geotérmico do mundo, oportunidade única e tal. Como sou curiosa, paguei pra ver.

Amanhece nos Geyseres del Tatio

Quando chegamos em El Tatio, com o nariz congelando e a boca tremendo, ainda era noite. Não demorou e, lá pelas 06h00, os primeiros raios de sol foram aparecendo timidamente, revelando um verdadeiro cenário de ficção científica. É aí que nem um, nem dois, mas centenas de jatos de fumaça e água fervilhando brotam da terra, atingindo até 10 metros de altura.

Detalhe do campo geotérmico

Para os mais animados, há uma piscina natural, onde é possível banhar-se nas águas quentinhas. Duro é agüentar o frio depois na hora de colocar a roupa de volta. O pessoal do hemisfério norte nem liga e se joga com vontade. Eu, acostumada aos trópicos, coloquei só a mão e olhe lá!

O passeio exige certos cuidados, como andar apenas na área delimitada e nunca (jamais!) fazer a besteira de querer tocar na fonte dos geyseres. Quem já tentou, saiu de lá direto pro hospital com queimaduras graves. Outra dica é comer algo leve e não beber na noite anterior, para evitar dores de cabeça e enjôos que podem ser ocasionados pela altitude elevada.

Igreja e cruz na entrada do pueblo altiplânico de Machuca

Na volta, ainda passamos pelo micro povoado de Machuca, simpático vilarejo com população oficial de 40 pessoas, onde é vendido espetinho de llama, empanadas e  artesanatos.

Como já disse, a empreitada é puxada. Mas quando te falarem que é imperdível, acredite!

>>> Preço na Desert Adventures: 15.000 pesos chilenos/ Cosmo Andino cobra 25.000, mas o passeio é mais longo, passando por outros povoados e paisagens.

Sobre as agências:

Acabei fechando os tours com duas agências de perfis diferentes e achei tanto a Cosmo Andino quanto a Desert Adventures ótimas e dignas de recomendação.

Na Cosmo Andino todos os trajetos são pensados para serem aproveitados ao máximo, o que muitas vezes implica em escolher horários e rotas que desviem do restante das agências. Pense no Atacama com paisagens incríveis exclusivamente pra você. Além disso, os guias tem um inglês excelente e a alimentação durante os tours está bem acima da média.

Todas essas regalias podem custar até 40% mais caro do que pacotes similares oferecidos por outras empresas. Pelo preço e exclusividade, você vai notar que a maior parte dos clientes é  europeu e a média de idade é mais alta.

Já a Desert Adventures é o melhor custo benefício pra quem está com a grana mais curta. Os passeios seguem a média de preços do restante das agências, mas sem perder no quesito confiabilidade e qualidade. Peguei um guia super bem informado, animado e divertido. Os grupos são mais numerosos e compostos, em sua maioria, por adultos e jovens.

Dicas gerais:

– Leve óculos escuros, água, hidratante labial, filtro solar (o vento e o frio enganam, mas a radiação está lá torrando sua pele), chapéu, boné ou lenço, casaco (pode estar calor quando você sair para o passeio, mas o clima muda bruscamente quando cai o sol no deserto).

– Os tickets de entradas nos parques nacionais não estão inclusos no valor do passeio. Se tiver carteirinha ou for aposentado, leve o comprovante para obter descontos.

– É costume dar gorjeta ao guia no final do tour.

– Os preços, assim como as rotas mencionadas acima, foram levantados em agosto de 2010 e podem ter sofrido alterações até o presente momento.

LEIA MAIS:
Puno e as imperdíveis ilhas flutuantes do lago Titicaca.
Copacabana e Ilha do Sol – Onde o lago Titicaca é mais azul.
Igrejas, museus, San Blas – Monte seu roteiro para desvendar a cidade de Cusco.
Três passeios nos arredores de Cusco que você precisa fazer.
Águas Calientes: onde ficar e comer na cidade base para quem vai à Machu Picchu.
La Chica de Mochila ensina como ir de trem a Machu Picchu.
Viagem à Machu Picchu: Por que eu fiz a trilha inca.
.V

.

Anúncios