Arquivo da tag: Chile

Pisco Elqui – Um lugar para conhecer na sua próxima viagem ao Chile

Há tempos queria publicar esse post. É que entre Santiago e San Pedro do Atacama existe um lugar encantador que você precisa conhecer: O Vale do Elqui.

Pisco Elqui: ensolarada o ano todo.

Formado por cidades charmosas e produtoras de pisco, ensolarado 300 dias por ano, cercado pela Cordilheira dos Andes e dono de um dos céus mais lindos do mundo, o Vale convida ao descanso, à meditação e outras atividades contemplativas.

Entre as cidades da região, elegi Pisco Elqui para passar 3 dias. O lugar surgiu por acaso nos meus planos, quando fazia uma pesquisa pela internet e vi fotos que traduziam perfeitamente o significado da palavra “férias”. Ao menos o tipo de férias que eu tinha em mente, com tempo para ficar caçando desenhos em nuvens…

Céu de Pisco Elqui: Pra mim é uma lhama. E pra vocês?

Abaixo, listei meus programas preferidos por lá (e que eu acho que você deveria conferir ao vivo).

1)  Trilha pelas montanhas e ‘pueblos’ do Vale +Downhill de bike

Pisco Elqui é pequena, como as cidades aconchegantes devem ser. Na O`Higgins, rua principal que fica em frente à igreja, ficam as duas agências de turismo da região. Acabei entrando na Migrantes, puxei papo com o simpático casal de donos e fechei um tour que incluía trilha pelas montanhas, passeio pelos  ‘pueblitos’ pitorescos do Valle e um downhill de bike no fim da tarde, quando as montanhas ficam alaranjadas e a vista é LINDA. Dá uma olhada:

Caminhada pelas montanhas e visita aos ‘pueblitos’ do Vale do Elqui.
Picos nevados podem ser observados durante a trilha/ Visita ao centro de artesanato local com direito a refrescante fonte dos desejos!
Entardecer no Vale do Elqui: faz bem para os olhos!

2)  Turismo Astronômico (o céu do Valle do Elqui é um dos mais propícios do mundo para isso!)

Frio extremo compensado pelo encantamento de ver a Lua de perto – Meu 1o. tour astronômico no Observatório de Cancana!

À noite faz muito frio. Por isso, vesti um casaco ultra quente antes de encarar uma estradinha estreita por 20 minutos que me levaria até Cochiguaz, onde o Observatório Astronômico Cancana está localizado. A visita, acompanhada por uma mini aula sobre constelações, é incrível!

Foi inesquecível ir até o telescópio e conferir bem de perto estrelas, Vênus, Saturno orbitando em seu anel e finalmente a Lua, toda prateada. Outros observatórios bacanas são Mamalluca e El Pangue .

3)  Massagens terapêuticas

Espaço para meditação e técnica de massagem nos pés/ Fotos: Templo del Sol – Masajes y Terapias holísticas integrales.

Sou fã de terapias corporais, de uma massagem caprichada, daquelas que a gente se transporta pra outro mundo pelo toque do terapeuta, música, perfume e temperatura do ambiente. A boa é que Pisco Elqui tem inúmeras opções nesse sentido: ayuverdica, reiki, pedras quentes, holística, biomagnetismo, shiatsu e por aí vai. Escolha a sua preferida e separe ao menos um dia pra conhecer o lado místico e zen da cidade.

4)  Degustação de Pisco

Entrada da Destilaria Mistral, na Calle O’ Higgins. “O melhor pisco do mundo”, segundo os chilenos.
Restaurante e degustação de pisco na Destilería Mistral.

Pisco Elqui não ganhou esse nome por acaso. Assim sendo, uma visita guiada à famosa Destileria Pisco Mistral é mais do que obrigatória. Aproveite para fazer uma degustação e conhecer os diversos tipos da bebida. Se puder, ainda almoce no restaurante de lá. A vista é convidativa!

5)  Passar a manhã na rede do jardim do Hostal Triskel

Pernas pro ar na rede do Hostal Triskel.

Um desafio pessoal: descansar nas férias. Museus, lojas, prédios históricos, restaurantes e outros afazeres das cidades grandes me obrigam a acelerar o passo para visitar tantos locais interessantes. Já em Pisco Elqui, tempo livre está entre os atrativos principais. Que delícia acordar tarde e ficar uma manhã inteira de pernas pro ar,  espreguiçando na rede do jardim do hotel e lendo um bom livro.

Pisco Elqui – Modo de fazer:

Centenas de europeus passam por lá o ano todo, mas o local ainda se mantém inexplorado pelos brasileiros. Então simbora conhecer Pisco Elqui?

Como chegar:

Fonte: Google Maps

As companias de ônibus Via Elqui e Sol de Elqui fazem o trajeto em 2 horas e meia saindo de La Serena.

Para chegar a La Serena, existem vôos com cerca de 1h30 de duração a partir de Santiago ou Calama (cidade mais próxima de San Pedro do Atacama). De ônibus, o trajeto é mais longo, 8 e 15 horas respectivamente.

 Onde ficar:

Foto: Hostal Triskel

Hostal Triskel é uma hospedaria simples, mas muito gostosa. Seu custo-benefício é ótimo e por 9000 pesos chilenos (R$ 32,00) por pessoa você desfruta de um ótimo café da manhã, um jardim inspirador e uma simpática cozinha compartilhada.

Onde comer:

Para sucos naturais e saladas frescas, visite “El Tesoro de Elqui”, na praça principal da cidade. Uma quadra adiante, na mesma rua, está “El Durmiente Elquino”. Lá, comi um excelente arroz selvagem com legumes e cogumelos. Há também carnes e pizzas artesanais que vão muito bem com uma tacinha de vinho 😉

Outras cidades interessante para visitar no Valle são Vicunha e Montegrande (terra da poetisa e prêmio Nobel de literatura Gabriela Mistral).

Mais informações aqui.

LEIA MAIS:

Meus lugares favoritos em San Pedro de Atacama – Onde se hospedar, o que comer e o que visitar na cidade.
Quatro passeios para desvendar o deserto do Atacama.
.V

Anúncios

Meus lugares favoritos em San Pedro de Atacama – Onde se hospedar, o que comer e o que visitar na cidade.

Meus lugares favoritos em San Pedro de Atacama – Onde se hospedar, o que comer e o que visitar na cidade.

San Pedro de Atacama é uma pequena cidade moldada pelo turismo. Seus poucos quarteirões, com muros e casas de adobe charmosas, abrigam hotéis, restaurantes, agências e lojas de artesanato prontas para atenderem aos milhares de viajantes que circulam o ano inteiro pela região.

Explico: no Atacama não há exatamente uma baixa estação. Por lá, faz sol o ano inteiro e raramente chove, fazendo com que os principais passeios sejam mantidos diariamente pelas operadoras. Isso faz também com que os preços subam consideravelmente, mas nada que uma boa pesquisa não resolva.

Onde se hospedar:

Área comum e quarto/ fotos: Hostal Campo Base

Se hospedar no Atacama é caro. Dito isso, olho vivo para conseguir um bom custo-benefício, pois não vale a pena economizar e cair em armadilhas como chuveiro com água gelada, lugares muito fora de mão, etc.

Na minha proposta mochileira viajando sozinha fiquei super satisfeita com os R$40,00 que desembolsei por um quarto compartilhado no Hostal Campo Base. Além de ficar ao lado da Rua Caracoles, que concentra o burburinho da cidade, o café da manhã (incluso na tarifa) era ótimo, a cama era confortável e o banheiro, que era dentro do quarto, limpo e com água quente! Por lá, existem quartos privativos com banheiro para 2 pessoas por R$ 140,00

Bangalô e quarto/ Fotos: Hotel Poblado Kimal

Subindo os valores, mas também o conforto, sugiro o Poblado Kimal por USD 165, 00 no quarto duplo, que parece um bangalô com arquitetura típica atacameña.  Nessa faixa de preço, o hotel inclui piscina, restaurante, frigobar, etc. Além disso, a localização é no centro histórico.

Entrada, piscina e quarto/ Fotos: Hotel Tierra Atacama

Na categoria luxo, para quem está afim de uma experiência única, com todos os mimos inclusos, dê uma olhada no Tierra Atacama e no Explora Atacama.

Piscina, termas de puritama e quarto/ Fotos: Explora Atacama

Nos dois casos, os hotéis oferecem 3 refeições inclusas, spa, tours pelo deserto, decoração arrojada, transfer de ida e volta para o aeroporto, lindas paisagens e demais atrativos que justificam os altos preços. No Tierra Atacama, 4 noites para um casal saem por USD3.380. No Explora, o mesmo período para 2 pessoas custa USD 5.280.

Onde comer:

salão do Tierra Todo Natural, mesa do La Casona e cozinha do Las Delicias de Carmen/ Fotos: http://www.sanpedroatacama.com

O Tierra Todo Natural, localizado na R. Caracoles, é meu restaurante preferido em San Pedro. Simpatizei tanto que fiz ao menos uma refeição por lá todos os dias em que estive na cidade. A comida é fresquinha, com vários ingredientes orgânicos, integrais e pratos com muitas opções vegetarianas que conseguem ser leves, ricas e saborosas ao mesmo tempo. As especialidades da casa são as empanadas e as pizzas, mas os “menus do dia” também são um ótimo negócio e saem entre 5 e 6 mil pesos chilenos.

O La Casona, também na Caracoles, é outro restaurante que vale a visita. Parrillas e outros pratos típicos do Chile, mas com toque internacional, podem ser degustados em um ambiente acolhedor, com lareira e música ao vivo. Peça um vinho e seja feliz! O preço é um pouco mais caro do que o Tierra Todo Natural, mas existem menus por volta de 8000 pesos chilenos.

Para quem gosta de ir aos locais mais tradicionais, não deixe de passar no Las Delicias de Carmen, na R. Gustavo le Paige, e provar uma das suas famosas empanadas. Os doces, como a torta de limão, também são uma delícia. Tudo fresquinho, preparado na hora e a preços camaradas!

O que visitar:

Além dos passeios mais procurados, que escrevi nesse post e que ficam afastados da cidade, existem ao menos dois lugares que você precisa conhecer a pé ou alugando uma bicicleta.

Estátua em homenagem ao padre arqueólogo Gustavo Le Paige e interior do museu.

O primeiro é o Museu Gustavo Le Paige. Opte por uma visita guiada e descubra histórias interessantíssimas a respeito dos povos precolombinos que habitaram o Atacama.  Muitos dos milhares de objetos ali expostos foram encontrados pela equipe do padre belga que dá nome ao museu e que realizou complexos estudos arqueológicos na região na década de 50. O museu fica aberto de segunda a sexta, das 09h00 às 18h00, e aos finais de semana e feriados, das 10h00 às 18h00.  A entrada custa 2.500 pesos chilenos.

Fachada e interior da Igreja de San Pedro.

O segundo ponto turístico é a igreja de San Pedro. Um dos símbolos da cidade, foi construída com adobe no século XVI e, após uma série de reformas, segue abrigando eventos locais. Seu interior tem uma beleza singela e genuína.

Além desses dois locais, caminhe pela Rua Caracoles e suas transversais, visitando as lojas de artesanato e apreciando as construções rústicas típicas da cidade.

LEIA MAIS:

Quatro passeios para desvendar o deserto do Atacama.
Puno e as imperdíveis ilhas flutuantes do lago Titicaca.
Copacabana e Ilha do Sol – Onde o lago Titicaca é mais azul.
Igrejas, museus, San Blas – Monte seu roteiro para desvendar a cidade de Cusco.
Três passeios nos arredores de Cusco que você precisa fazer.
Águas Calientes: onde ficar e comer na cidade base para quem vai à Machu Picchu.
La Chica de Mochila ensina como ir de trem a Machu Picchu.
Viagem à Machu Picchu: Por que eu fiz a trilha inca.
.V

.
//