Arquivo da categoria: Argentina

Expectativa x realidade: As compras que eu (não) fiz na Rapsodia.

Expectativa x realidade: As compras que eu (não) fiz na Rapsodia.

Expectativa ($) x Realidade ($$$)

Quando fui pra Buenos, recebi mais de dez recomendações efusivas: Vai na Rapsodia, essa loja é sua cara, você vai adorar! Entrei no site e de fato: me encantei!

Da série: Roupas que eu amei, mas não comprei :S

Eis que já no primeiro dia da viagem, me deparei com a loja da Calle Honduras, em Palermo Soho e fiquei animadíssima! Explico: fui para a cidade com a intenção de renovar meu guarda-roupa de inverno e doar as peças mais antiguinhas, mas super bem conservadas.

Pois bem: em menos de 5 segundos já havia flertado com um casaco lindo de tricô azul marinho, com detalhes em creme e dourado, super trabalhado. Já festejando nossa generosa vantagem cambial, viro a etiqueta e… 839 pesos??? Oi???

Pois é, não sei você, mas eu não pago contente quase 340 reais em um casaco. Não era minha proposta, eu estava buscando pechinchas, oras!

Rapsodia, beijo me liga na liquidação!

Saí de lá com o olho ainda comprido nesse casaco multicolorico, com uma pegada étnica que me perseguiu na vitrine de toda as outras Rapsodias pela quais eu passei durante minha estadia.

Mas enfim, passo vontade, mas não passo aperto. E, de mais a mais, tenho duas avós fantásticas que fazem tricô como ninguém. Bora se inspirar nos modelos, encomendar um casaco pra avó e ser feliz?

 LEIA MAIS :
Isadora – Bijus com cara da Accessorize e preço da 25 de março!
Las Pepas – Jaquetas, bolsas e sapatos de couro lindos para las chicas!
O que trazer de lembrança de Buenos Aires sendo original e gastando pouco
Compras, compritchas e o que realmente vale a pena em Buenos Aires.
Palermo – Por que eu saí do centro para me hospedar lá.
.

Anúncios

Compras, compritchas e o que realmente vale a pena em Buenos Aires

Compras e o que realmente vale a pena em Buenos Aires.

O câmbio favorável e as irresistíveis comprinhas em Buenos Aires.

Buenos Aires pode ser um paraíso para torrar la plata, mas pode ser também uma cilada. Quer um exemplo? Em São Paulo você consegue comer “ok” no almoço por 35 reais, mas por lá até os botecos te cobram mais que 35 pesos e dificilmente você gasta menos que 70 pilas.

Claro que, com o câmbio favorável como nunca, continua valendo (e muito!) a pena comer e gastar por lá, mas não adianta achar que você está arrasando com 400 pesos no bolso porque não é bem assim rs… Dito isso, constatada também a inflação crescente na Argentina e tudo mais, vambora ver algumas boas barganhas que você pode encontrar (sem contar a Las Pepas e a Isadora que tem posts à parte).

 Sylvia y MarioPrecisando presentear sua mãe, sua amiga ou seu avô com aquela clássica jaqueta de couro ou blusa de cashemere? Eu também já estive nessa situação e meu melhor achado foi a Sylvia y Mario. Eles são fabricantes, tem peças femininas e masculinas e a loja ainda é bacaninha e espaçosa. Eles ficam na M.T. de Alvear, 550, uma travessa no comecinho da Florida. Ah, pague com efectivo (grana) e barganhe mais 10% de desconto. Tenho blusas ótimas de cashemere com seda que saíram por 120 pesos.

Welcome Marroquineria – Sei que a Casa Lopez lidera as indicações, mas ainda na M.T. de Alvear vale dar uma olhada nas bolsas, malas e sapatos de couro da Welcome. Eles tem modelos tradicionais, mas também artigos mais modernos e coloridos. A qualidade do couro é incrível, assim como o preço. Tenho uma bolsa de couro grande caramelo, daquelas lindas e atemporais, que saiu por cerca de 520 pesos.

FalabellaNão sei qual é a minha, mas piro em lojas de departamento que acho que perderiam metade da graça se tivessem no Brasil. Parece que tem um gostinho especial ir a H&M na Europa, né? Na América do Sul, tenho esse apego pela loja feminina da Falabella. Além de olhar o setor gigante de cosméticos, adoro percorrer as araras de moda jovem e encontrar achados como um sobretudo de lã azul, com forro de estrelinhas, por 240 pesos (menos de 100 reais!!!). Vai lá: Calle Florida, 202.

Complot – Não é das lojas mais baratinhas, mas vale a visita! Tem a cara da garota portenha moderna e é lá que eu vou quando quero me sentir dentro do espírito da cidade. Em geral, se prepare para vários tipos de legging e, neste inverno, a grande tendência são os casacos de lã pra lá de maxi. Tudo parece que você pegou do seu avô, mas com muito estilo hahahahaha. Comprei um desses mega casacões de tricô por 340 pesos e saí de lá feliz da vida. Mais lojas de moda jovem pra ficar de olho: Materia, Ayres, Vitamina e Cuesta Blanca.

HavannaHit dos hits. Mesmo que já tenha desembarcado por nossas bandas e mesmo que, ao menos na minha opinião, existam alfajores melhores, tradição é tradição! Por lá, as guloseimas custam metade do que aqui e podem ser achadas com facilidade em todos os cantos da cidade. Tabela rápida de preços do alfajor: unidade 5 pesos, caixa com 6, 12 e 24 alfajores, 27, 52 e 100 pesos respectivamente.

M.A.C. ProA loja completona da rede de maquiagens canadense pode ser encontrada na entrada das Galerias Pacífico. Apesar do preço do Freeshop ser sempre MUITO melhor (atenção para a incrível loja em Ezeiza), aqui você pode encontrar algumas linhas e produtos que não são vendidos nos aeroportos. Foi o caso da minha amada base “Face and Body”.  Ela vem em uma bisnaga de 120ml que dura uma eternidade e, no Brasil, custa 147 reais diante dos 260 pesos (R$108) da loja em Buenos Aires. Atenção: nos Free Shops do Aeroparque não tem M.A.C.

Dermocosméticos – Ah, o fetiche que eu tenho pelos dermocosméticos! Aqueles produtos incríveis, hipoalergênicos e ultra funcionais, que vão do creme anti-celulite  à shampoos super específicos e eficientes. Sem falar nas águas termais, um pequenos luxo que todos deveriam adotar! Em Buenos, o preço faz com que seja impossível sair da Farmacity sem um desses produtos. Delicie-se nas prateleiras da Avène, La Roche Posay e Vichy!

Lacoste– A marca, que agrada demais aos brasileiros, é um dos locais mais movimentados das Galerias Pacífico. Se quiser um pouco mais de paz, vá às duas outras  lojas da grife espalhadas pela Calle Florida e fuja da fila dos provadores. Eu, que só sou freguesa da Lacoste nas camisas sociais femininas, sondei que estavam por 379 pesos. Por aqui, certamente custam mais do que 150 reais.

>>> Ah, sobre os festejados outlets, nunca consegui (para ser honesta também não tive vontade) dedicar alguns dias para explorá-los. Sei que são muitos e que podem render bons descontos. Se você quiser se arriscar nessa aventura, consulte o compilado de sugestões do site Oh Buenos Aires.

.
LEIA MAIS:
Preços do Duty Free de Ezeiza e Aeroparque. Mate sua curiosidade aqui!
O que trazer de lembrança de Buenos Aires sendo original e gastando pouco
Expectativa x realidade: As compras que eu (não) fiz na Rapsodia.
Las Pepas – Jaquetas, bolsas e sapatos de couro lindos para las chicas!
Isadora – Bijus com cara da Accessorize e preço da 25 de março!
Palermo – Por que eu saí do centro para me hospedar lá.
.

O que trazer de lembrança de Buenos Aires sendo original e gastando pouco

O que trazer de lembrança de Buenos Aires sendo original e gastando pouco

Alfajores e doce de leite da Havanna. Estatuetas, canecas e imãs de geladeira com casais dançando tango. Bolsinhas e porta níqueis com a bandeira da Argentina. Cashemere e chalinas. Invariavelmente um desses itens estará na sua mala na volta de Buenos Aires.

Claro que estes souvernirs são bem-vindos, alguns até pela sua aura kitsch e divertida, mas eles não vão exatamente surpreender seus parentes e amigos, especialmente aqueles que já estiveram na cidade. Para estes casos, focando na idéia regalito, ou seja, pequenas lembrancinhas com preços até 25 reais, eu aderi a essas 6 idéias nesta minha última viagem:

Alfajores Jorgito: Estão entre os mais populares entre os locais e são realmente muito gostosos. Você encontra por uns 8 pesos no supermercado em embalagens fofas retrô, tipo “lanche” das crianças. Vem com 6 unidades, nos sabores chocolate, doce de leite, mousse e frutas.

Mostarda Savora: Recebi a encomenda de trazê-la e fiquei curiosa para provar. Achei uma delícia! E o melhor: é super baratinha, tipo 5 pesos, mas mil vezes mais gostosa do que aquela que você compraria por 2 reais no Brasil. Essa é para fazer uma graça com seu amigo que começou a se aventurar na cozinha ou para você colocar na batatinha frita aqui no Brasil e lembrar da viagem!

Shampoo, condicionador e tratamentos capilares TRESemme: Diz a Catarina, minha amiga que adora cosméticos, que é qualidade de Kerastase a preço de Seda. Exageros à parte, eu usei uma vez e realmente curti o resultado. As embalagens de 250ml custam em torno de 10 pesos e você encontra em qualquer farmácia. Pechincha!

Bloquinho da Papelera Palermo – A papelaria mais charmosa de Buenos Aires tem opções de bloquinhos feitos com papéis artesanais e estampas próprias. Por cerca de 20 pesos, é um presente pra lá de simpático para aquele seu amigo de bom gosto que já tem tudo. Fica a dica, agora em novo endereço na Calle Cabrera, 5227.

Outros livros do Quino– Digo outros porque, no Brasil, ele é conhecido quase que exclusivamente pela genial “Mafalda”. Estas outras obras, embora menos celebradas, são igualmente brilhantes, mantém a mesma verve política e são ainda mais legais de ler no seu idioma original. Algumas delas, editadas pela De La Flor, são “Que presente impresentable”, “Potentes, Prepotentes e Impotentes”, “Si, Cariño” e “Quinoterapia”. Vá na famosíssima livraria El Ateneo, da Av. Santa Fé, e garanta seu exemplar por 34 pesos.

Livros do Liniers – Um dos meus cartunistas prediletos, ao lado de Bill Watterson , criador do Calvin e Haroldo. As tirinhas da série Macanudo, que trazem vários personagens de um universo fantasioso, são publicadas há quase uma década no La Nación, jornal de maior circulação na Argentina e há algum tempo por aqui na Folha de S. Paulo. Seu humor é sutil, quase melancólico. No seu último livro, lançado há duas semanas na Argentina, Liniers pediu que a capa dos 5 mil primeiros exemplares viessem em branco para serem ilustradas manualmente. Esse regalo eu queria (assim, muito) para mim! O “Macanudo#2”, livro que eu comprei desta vez , custou 44 pesos na livraria El Ateneo.

.

LEIA MAIS:
Preços do Duty Free de Ezeiza e Aeroparque. Mate sua curiosidade aqui!
Isadora – Bijus com cara da Accessorize e preço da 25 de março!
Las Pepas – Jaquetas, bolsas e sapatos de couro lindos para las chicas!
Expectativa x realidade: As compras que eu (não) fiz na Rapsodia.
Compras, compritchas e o que realmente vale a pena em Buenos Aires
Palermo – Por que eu saí do centro para me hospedar lá.
.

Argentina além de Buenos Aires.

Argentina além de Buenos Aires.

Na lista: Glaciar Perito Moreno, Cataratas do Iguaçu, montanhas em Salta, vinícola em Mendoza e praia em Bariloche.

Buenos Aires é também um ótimo ponto de partida para outros destinos interessantíssimos na Argentina, como Colônia del Sacramento e Delta del Tigre, sobre os quais já escrevi nesse post. Aqui, mais alguns lugares sobre os quais estou pensando em ir na minha próxima viagem ao país. Atualmente, eles estão na seguinte ordem de interesse:

* * * * * PATAGÔNIA – A paisagem rara dos glaciares, em especial o Perito Moreno, localizado na cidade de El Calafate, está no topo da minha lista de desejos há tempos! O impacto dos blocos de gelo gigantes, de mais de 60 metros, caindo na água diante do silêncio absoluto do local me inspiram a tirar a mochila do armário agora mesmo!

* * * * CATARATAS DO IGUAÇU – É uma das novas 7 maravilhas da natureza e contempla mais de 250 quedas d’água que compõem um visual estonteante. Destino conhecidos de 10 entre 10 gringos que vem para a América do Sul, já está mais do que na hora de ser devidamente valorizado e visitado pelos brasileiros.

* * * SALTA E JUJUY  – Taí um destino quase desconhecido entre os brasileiros, mas que é hit entre mochileiros europeus. As duas províncias, que ficam no noroeste argentino, combinam arquitetura colonial, passeios a cavalo, belas montanhas coloridas, culinária crioula e todas as tradições dos Aymaras, povo pré-inca que povoou a região.

* * * MENDOZA – Quase na fronteira do Chile, é aqui que são produzidos alguns dos melhores vinhos da Argentina. Nesse roteiro, é obrigatório explorar as vinícolas e suas imperdíveis degustações. Talvez eu ainda combinasse esse programa com um trekking leve pelos Andes.

* * BARILOCHE (no verão) – Posso estar muito enganada e adoro quando me provam o contrário… mas o que me tira o pique de ir curtir a neve por lá é que a cidade, também conhecida como Brasiloche, fica apinhada de adolescentes brasucas no inverno comemorando antecipadamente a formatura.  Me pergunto: Será que vale a investida? Nesses último dias, fiquei sabendo que a cidade guarda boas surpresas no verão, com as águas cristalinas das lagoas da região que se transformam em praias bem legais. Prometo testar e escrever depois aqui.

>>> Para ter uma idéia de preço e me inspirar nos roteiros, dei uma olhada no site da agência de turismo argentina Say Hueque. Ainda não experimentei o serviço deles, mas já ouvi vários elogios de viajantes independentes. Se alguém testar algum dos pacotes deles, depois me conta como foi a experiência?

.

Palermo Soho querido

Eco Pampa Hostel - Palermo Soho (Ca Estoy)
Ahorita em Palermo Soho. Desayuno con medialunas, mantequilla y dulce de leche. Pra que mais, né? Em breve, novos posts fresquinhos aqui da Argentina.
.